Aqui Começa o Atlas #20 — © Frederico Mira George

ÚLTIMO POEMA DA II PARTE

AQUI COMEÇA O ATLAS #20
{Último poema da II parte}

Várzea de Colares,
Dia 29 de Setembro de 14
Largo António Nunes Rodrigues Caruna
Molhe da ribeira
{Café «C.da V.», Segunda-feira}

Vigésimo
{«Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo»*}

Não me oporei a adormecer. Jazendo
refusarei os sonhos — síntese em-corpórea d’angústia.
Reservo à vigília todas as manifestações
de dor incurável. Às manhãs, o tempo do cilício.

{Mal de te amar neste lugar de imperfeição*

*Sophia}

14h18m
Frederico ‘W George

Anúncios

Sobre Frederico Mira George — «Caixa Negra III»

Frederico Mira George: Escritor, Realizador/Autor/Locutor de Rádio, Artista Plástico
Esta entrada foi publicada em Aqui Começa o Atlas — Poemas com as etiquetas , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s