Poema número 32

Poema número 32

Praia das Maçãs
Dia 27 de Agosto de 2013
Terça-feira, 10h11m –
{Chitas}

humanos, deuses, semi-Deuses…, todas
Essas peças de alfaiataria budista me
Deixam cansado e desiludido com hipóteses
De nirvana. Cansaço e igual desilusão
Com os romanos santos-beatos que choram
Virtudes e babam cristandade sobre as saias
E os mantos. Quero lá saber de mundos
Infernais, ou celestes paraísos terrenos
Ocultos na crosta da Terra. Que tédio! O
Que me enleva ao êxtase são os matyres
Ensanguentados. Desde a Cruz d’onde, languido,
Jesus escorre nu e ferido, às chagas,
Pungentes no torso infante de Sebastião. Que
Fervor a sacarificação de André no X místico
Em puro prazer! E Krishna!, decepado de muitas
Cabeças jorrando seivas no campo de Brâma.

Anúncios

Sobre Frederico Mira George — «Arte»

Frederico Mira George: Escritor, Artista Plástico, Podcaster
Esta entrada foi publicada em «Um Fósforo na Mão» - Narrativas & Outros Poemas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s