Poema número 18

Poema número 18

Praia das Maçãs
Dia 13 de Agosto de 2013
Terça-feira, 11h

A cómoda de família ocultou-se sob
Os braços retorcidos de uma trepadeira.
Faminta De rostos espelhados, sedenta
De mãos penteando os fios de Arame da cabeça,
a trepadeira Engoliu o espelho
e os reflexos históricos De uma geração
de mortos com pesadelos.
Já não consigo um reflexo ao espelho.

Anúncios

Sobre Frederico Mira George — «Arte»

Frederico Mira George: Escritor, Artista Plástico, Podcaster
Esta entrada foi publicada em «Um Fósforo na Mão» - Narrativas & Outros Poemas. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s