Poema número 1

Poema número 1
Praia das Maçãs
Dia 26 de Julho de 2013
Sexta-feira, 14h30m
No cérebro dos poemas esconde-se um poeta revolto
Que não nasceu, nem foi semeado, que não tem dentes,
Nem dedos sólidos de osso. Um poeta solto
Do corpo, que não sente, ou sente tanto como se
Sentem os filhos quando estão longe e com eles falamos
Na certeza mística de uma conversa. No
Cérebro dos poemas avultam-se outros poemas,
Muito longos e antiquíssimos; falando.
Advertisements

Sobre Frederico Mira George/Literatura e Rádio

Frederico Mira George: Escritor, Realizador/Autor/Locutor de Rádio, Artista Plástico
Esta entrada foi publicada em «Um Fósforo na Mão» - Narrativas & Outros Poemas com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s